A linguística documentacional e o minderico no contexto da diversidade linguística

Publicado en Noticias

Aula Aberta no curso de Línguas e Globalização, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, dia 13 de novembro 2013, das 14-16h, sala TP2, no âmbito do desenvolvimento da nova acção COST "New Speakers in a Multilingual Europe: Opportunities and Challenges" (IS1306)

A linguística documentacional e o minderico no contexto da diversidade linguística

Vera Ferreira
CIDLeS – Centro Interdisciplinar de Documentação Linguística e Social

De acordo com os dados de Ethnologue.com e da Fundação Volkswagen (Programa de Documentação de Línguas Ameaçadas - DoBeS), existem no mundo cerca de 6700 línguas; dessas, 2500 têm a sua existência ameaçada e o processo de extinção avança rapidamente. É neste contexto que a linguística documentacional, uma disciplina da linguística relativamente recente (anos 90 do século XX) e altamente tecnológica, vê como a sua tarefa primordial documentar de forma multimédia eventos comunicativos representativos de comunidades cujas línguas estão ameaçadas ou eram até então desconhecidas, dentro dos seus contextos naturais de utilização, criando assim corpora multimédia de dados primários devidamente anotados e arquivados para as gerações futuras, quer de falantes quer de investigadores, e incentivando desta forma e em estreita colaboração com a comunidade falante o processo de revitalização dessas mesmas línguas.

No estudo e documentação das línguas ameaçadas, a Europa tem sido um pouco esquecida. Contudo, também no nosso continente são várias as línguas ameaçadas e em vias de extinção. A presente comunicação focará o panorama linguístico europeu, mais concretamente as línguas minoritárias e/ou ameaçadas na Europa. Depois de uma breve descrição do que são línguas ameaçadas e os factores que determinam o seu estatuto, olhar-se-á mais de perto para o minderico (código ISO [drc]) enquanto variedade linguística ameaçada falada na vila de Minde. Desde 2008 que o minderico está a ser alvo de documentação de acordo as orientações teóricas, métodos e técnicas da linguística documentacional, inicialmente no âmbito de um projecto DoBeS e actualmente em diversos projectos do CIDLeS - Centro Interdisciplinar de Documentação Linguística e Social. Alguns resultados concretos dessa documentação e consequente revitalização serão apresentados na segunda parte da comunicação.


Vera Ferreira é licenciada em Línguas e Literaturas Modernas pela Universidade de Coimbra, tem Mestrado em Linguística Geral e Tipologia Linguística pela Universidade Ludwig-Maximilian em Munique, Alemanha (2000) e é doutoranda em fase final pela mesma universidade em Documentação Linguística e Línguas Ameaçadas na Europa. Entre 2008 e 2012, foi responsável pela documentação do Minderico (sob o título "Minderico: An endangered Language in Portugal") no âmbito do projecto DoBeS (Dokumentation bedrohter Sprachen) financiado pela Fundação Volkswagen na Universidade de Regensburg, Alemanha. Presidente da CIDLeS, responsável pelo Grupo sobre Documentação Linguística e Tipologia Linguística, foi presidente do comité organizador da primeira conferência internacional sobre línguas ameaçadas na Europa que teve lugar em Minde em Outubro de 2013 - a única até agora realizada na Europa. Faz parte da delegação portuguesa na comissão de gestão da acção COST "New Speakers in a Multilingual Europe: Opportunities and Challenges" (IS1306).

Por favor, haz login o regístrate en la web para poder publicar comentarios y participar más activamente. Después, refresca o vuelve a esta página. ¡Gracias!